segunda-feira, 18 de julho de 2011

Quantas vezes o bebê amamentado ao seio deve evacuar?

Queridas mamães,

 Quem é leitora de meu blog sabe o quanto defendo a informação correta, principalmente, aquela que está disponível nas diversas páginas da internet. Por aqui, quando não tenho certeza de algum dado eu  faço uma breve revisita aos meus velhos, e fiéis, livros de saúde materno-infantil e pesquiso a literatura para me certificar de que nada mudou...ou conhecer o novo. Hoje li, em uma matéria, algo que me causou imensa "estranheza" e dita por alguém que tem um certo "prestígio" na luta para o prolongamento e melhor prática de amamentação.  O relato diz que seria normal um bebê, amamentado ao peito, ficar até 10 dias sem evacuar. Puxa vida, que tristeza! Sabemos que o leite materno tem a digestão mais rápida, de modo que seu trânsito pelo sistema gastrointestinal aconteça facilmente, resultando, quase sempre, em fezes amolecidas. Os bebês que recebem leite materno, geralmente, evacuam várias vezes ao dia. Alguns, ainda, evacuam a cada mamada. Um dos parâmetros utilizado mundialmente como complemento para avaliar o andamento adequado do aleitamento materno são as fezes, em sua quantidade e coloração. E então eu respondo: Ufá! Nada mudou!Fiquei até mesmo receiosa pensando que novos estudos apresentassem este achado, mas não.  Então faço aqui a minha revalidação: Se o seu bebê demorar mais do que 3 dias para evacuar, consulte o seu pediatra! Há algo errado e precisa ser corrigido imediatamente para manter o bem estar de seu bebê.

E o que diz a Sociedade Brasileira de Pediatria?

Quantas vezes por dia o bebê amamentado ao seio deve evacuar?
O ritmo de evacuações varia muito em função do período de vida. Nos primeiros dois meses o bebê poderá apresentar até oito evacuações por dia, evacuando quase a cada mamada, em função do que convencio­namos chamar de reflexo gastrocólico — o enchimento do estômago desencadeia uma onda de movimentos intestinais (peristalse) que culmina com o esvaziamento do reto. Nos meses seguintes, o aparelho digestivo vai se “acalmando” e, como quase todo o conteúdo do leite materno é absorvido, ocorre uma demora bem maior para o enchimento da ampola retal. Dessa forma, o bebê passa a evacuar com intervalos bem maiores, de até 24-48 horas, sem que isso caracterize uma prisão de ventre.
Na prisão de ventre “verdadeira”, muito comum entre os bebês alimentados com leite de vaca e fórmulas, o bebê tem grande dificuldade em evacuar e evidencia um grande esforço para eliminar fezes muito ressecadas e endurecidas.
Mamando no peito, o bebê apresentará sempre um padrão de fezes amolecidas, com odor característico, sem risco de prisão de ventre.

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria em http://www.sbp.com.br/show_item2.cfm?id_categoria=21&id_detalhe=2754&tipo_detalhe=s 

Um imenso beijo para todas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário